BIŌNTE® QUIMITŌX® também mostra sua eficácia contra alcalóides do ergot

Impacto dos alcalóides do ergot na nutrição animal

Alcalóides do ergot, ou cravagem de centeio, são micotoxinas produzidas por certas espécies de fungos, principalmente do gênero Claviceps. Estas toxinas apresentam um risco significativo para a saúde e produtividade animal quando encontradas em matérias-primas ou rações (Arcella et.al, 2017). Nos últimos anos, mais atenção tem sido dada à compreensão das implicações dos alcalóides do ergot na nutrição animal e ao desenvolvimento de estratégias eficazes que mitiguem seus efeitos negativos. Este artigo apresenta uma visão geral dos alcalóides do ergot na nutrição animal, incluindo sua definição, modo de ação, efeitos tóxicos e estratégias para minimizar seu impacto na saúde animal.

A cravagem de centeio cresce naturalmente e contamina grãos como centeio, trigo, cevada e aveia, que servem como plantas hospedeiras dos fungos que produzem essas toxinas. Os alcalóides do ergot mais comuns incluem ergotamina, ergosina e ergocristina. Quando os animais consomem alimentos contaminados por estas micotoxinas, podem sofrer uma variedade de efeitos adversos que afetam a sua saúde, crescimento e desempenho zootécnico (Coufal et.al, 2016). 

Os alcalóides do ergot geram um impacto significativo na saúde animal devido à sua capacidade de se ligarem a certos receptores no corpo e interferirem nos processos fisiológicos normais. Essas micotoxinas podem causar vasoconstrição, levando à redução do fluxo sanguíneo e da absorção de nutrientes pelos órgãos vitais. Eles também afetam a atividade dos neurotransmissores, o equilíbrio hormonal e a função imunológica em animais. Consequentemente, os animais expostos aos alcalóides da cravagem do centeio podem sofrer com a redução do consumo de alimentos, crescimento deficiente, desempenho reprodutivo prejudicado, claudicação e outras complicações de saúde (Thompson, 2017). 

Os efeitos tóxicos dos alcalóides do ergot podem variar dependendo da concentração, tempo de exposição e espécie afetada. Animais que consomem alimentos contaminados com altas doses de alcalóides do ergot podem apresentar sintomas graves, como gangrena, distúrbios nervosos e até morte.

Como minimizar o impacto dos alcalóides do ergot?

Os alcalóides do ergot representam um desafio significativo na nutrição animal, afetando a saúde, o crescimento e a produtividade dos animais. No entanto, através da conscientização, de práticas de gestão adequadas e da implementação de estratégias de mitigação eficazes, os riscos associados aos alcalóides da cravagem do centeio podem ser minimizados. O monitoramento contínuo, o controle de qualidade e a utilização de aditivos e suplementos alimentares adequados são fundamentais para salvaguardar o bem-estar animal e otimizar a eficiência da produção contra a contaminação com alcalóides da cravagem do centeio. 

A BIŌNTE desenvolveu o produto BIŌNTE® QUIMITŌX®, uma combinação específica de minerais, componentes fitogênicos e orgânicos eficaz no controle das micotoxinas. Recentemente, os resultados de um estudo in vitro demonstraram a eficácia deste produto contra micotoxinas alcalóides do ergot (Ergocristina, ERC; Ergosina, ERS; Ergotamina, ERT). Ressalta-se que o produto também apresentou resultados positivos de eficácia na adsorção das micotoxinas mais prevalentes (Zearalenona, Fumonisina B1, Ocratoxina, Toxina T2 e Aflatoxina FB1), validados pelo Trilogy Lab (Estados Unidos).

BIŌNTE® QUIMITŌX®, solução completa anti-micotoxinas

Especificamente, o ensaio foi realizado em colaboração com o Laboratorio Biotech Agrifood da Universidade de Valência (Espanha) para demonstrar a eficácia do BIŌNTE® QUIMITŌX® contra micotoxinas alcalóides do ergot. O estudo simulou as condições do trato gastrointestinal e sua eficácia foi determinada por cromatografia líquida de alta resolução-espectrometria de massa em tandem (HPLC-MS/MS) sob pH 3 (simulando condições estomacais) e sob pH 7 (simulando o intestino).

BIŌNTE® QUIMITŌX® PLUS, shows its efficacy also against ergot alkaloids mycotoxins

Os resultados demonstraram que BIŌNTE® QUIMITŌX® tem ótima eficácia in vitro em todo o trato gastrointestinal contra altas concentrações de micotoxinas alcalóides do ergot (ergocristina, ergosina e ergotamina). A eficácia in vitro do BIŌNTE® QUIMITŌX® é de 99,7-100% em pH 3 e pH 7 para estas micotoxinas.

BIŌNTE® QUIMITŌX®, solução completa anti-micotoxinas

Em resumo, BIŌNTE® QUIMITŌX® alcançou uma eficácia muito elevada contra alcalóides da cravagem do centeio. Além disso, outros estudos reforçam a sua elevada eficácia contra as micotoxinas mais prevalentes na nutrição animal, com ação rápida e seletiva. Como conclusão, demonstrando ser um produto eficaz para controlar os efeitos das micotoxinas na produção animal.